29.12.12

Mostra Melhores de 2012 - 5 anos de APJCC




Em 2012, a APJCC comemora meia década de vida. Nesses cinco anos, foram várias as mudanças: novos integrantes foram agregados; integrantes antigos, e fundamentais, se mudaram de Belém; cineclubes nasceram, cresceram e, alguns, morreram, não sem antes frutificar. Algo persiste, entretanto, sem alteração em todos esses anos: o amor – pelo cinema, antes de tudo, e pelo debate. A materialização mais evidente desse amor é a Mostra Melhores do Ano, realizada ininterruptamente todo dezembro, mês de aniversário da APJCC, como uma retrospectiva dos grandes filmes que chegaram às telas brasileiras – sejam as dos cinemas ou as de nossos computadores – no ano que termina. A sensação, para nós, é a de rever velhos amigos, que nos proporcionaram grandes momentos durante o ano, e de poder apresentá-los a novas pessoas, torcendo para que essa amizade se espalhe e vire amor – porque grandes amizades são grandes amores. Questões infraestruturais impediram que a mostra de 2012 acontecesse em dezembro e ela migrou para janeiro de 2013. O amor, todavia, é o mesmo. Compartilhem!

Programação

09 de janeiro, quarta-feira


16h  
10º - Precisamos falar sobre o Kevin, de Lynne Ramsay 
Um adolescente promove um massacre na escola em que estuda. "Precisamos fala sobre o Kevin" trata disso a partir da perspectiva da mãe. Um filme lindo e violento como o próprio cinema, Tilda Swinton e Ezra Miller em performances únicas.
Guimarães Neto (APJCC)

18h30
9° - Caminho para o nada, de Monte Hellman
Lauren Graham é uma atriz que interpreta Velma Duran, uma descendente cubana que se envolveu com um milionário, cometendo duplo suicídio em nome desse amor proibido. Velma Duran é uma cubana lutando contra a opressão, morta pelos seus ideais, seu pai contrata Lauren Graham para interpretá-la e para morrer no lugar dela, preservando assim seus companheiros de luta. Mitchell Haven é um diretor de cinema, ele se apaixona por Lauren Graham, o que põe em risco seu “shitty hollywood movie”. Laurie Bird foi uma atriz, atuou em poucos filmes, mas dois foram suficientes para fazer um diretor se apaixonar perdidamente por ela. Hellman, o homem do inferno, Haven, heaven, talvez. Bird morreu muito nova, o problema é que o amor não tem idade pra morrer. A subida ao céu de Monte é para encontrar essa imagem perdida, por que no fim é isso e o tempo é cruel. Velma Duran, Lauren Graham, Laurie Bird são todas Shannyn Sossamon, habitam de maneira destrutiva esse corpo. “You and I know who killed Madeleine.” O engraçado é que o filme noir sempre tratou das mulheres fantasmas, nada de novo aqui.
Cauby Monteiro (APJCC)

10 de janeiro, quinta-feira


16h
8°- Cosmópolis, de David Cronenberg 
Filme problema do ano – me inquietou na poltrona em cada segundo das suas inacreditáveis uma hora e meia (parecia ter vivido toda uma vida naquela sessão). Metáforas, alegorias, símbolos e signos são abundantes, mas não é deles que quero falar. Acho mais urgente o reconhecimento de uma costura tão exata e hermética operada por Cronenberg, que diante de um material tão esmagador poderia entregar simplesmente um filme-tese, e entregou um filme-cinema.
Estética do desagradável? Sim. Niilismo no campo/contracampo? Sem dúvida. Afetuosa e sincera tentativa de recuperar algo que há muito se perdeu e que nem se tem a ideia do que seja? Aham. Cosmópolis parece uma daquelas balas que ao entrarem no corpo espalham-se por todo canto – incluindo o coração.
Felipe Cruz (APJCC)

18h30
7° - 4:44 Last Day on Earth, de Abel Ferrara 
O profano ortodoxo Abel Ferrara instiga o fim do mundo no cinema, através do cinema, pro cinema (e o cinema é e sempre será, o mundo). Cada instante de 4.44 pode ser o fim, como pode ser o meio e o início. Os problemas são os mesmos, crises infantis de ciúme, problemas com drogas, a relação homem/mulher. Adão e Eva vivem não no paraíso mas em um flat artístico em Nova York, conjugados a um problema só, obrigados pelos laços do amor a viver seus últimos instantes juntos. O medo da morte, ao ver nela só o que resta, o único futuro possível, será realmente medo? Ou será a consciência de si e de como nos ligamos a esse planeta de forma infinita e irremediável? Mesmo com todas as suas blasfêmias não existe maior crente que Abel Ferrara.
Cauby Monteiro (APJCC)

11 de janeiro, sexta-feira


16h
6°- Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant e Renato Ciasca
Esfinge – imagem que ronda e assombra a humanidade já há muitos milênios. Encantamo-nos com seu enigma justamente porque o sabemos indecifrável. Olhamos o mais fixamente possível em seus olhos abissais para que os olhos do abismo se voltem para dentro de nós. A encontramos para nos perder – porque perder-se é, também, uma forma de salvar-se.
A Esfinge-Lavínia suga e revigora a essência do simplório Cauby (simplório não por condição, mas por comparação), a quem – reles mortal – não resta nada a não ser observá-la e representá-la. Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios é do gênero milagre; resultado de uma alquimia sensível em que todos os envolvidos parecem igualmente responsáveis por sua beleza ofuscante. Beleza do sexo, do desespero, do amor, da memória. Beleza do ser humano – pela qual a Esfinge, enquanto entidade imortal, encontra-se irremediavelmente também fascinada.
Felipe Cruz (APJCC)

18h30
5°- Millenium – Os homens que não amavam as mulheres, de David Fincher
“É o gay rapaz !!!! O homem que não ama as mulheres” (Conversa do Bar do Horto, mesa ao lado)
“Há algo de podre no Reino da Dinamarca” (Shakespeare)
Existe toda uma mística em torno da deep web e seu universo de violência gratuita e de uso radical das possibilidades “proibidas” da internet dentro desse contexto sobrevivendo em meio a esse caos a figura do “outsider” representado em Millenium pela imagem gélida de Lisbeth (grande trunfo do filme em relação a construção de personagens). Em meio a genealogias familiares reviradas e torturas nazistas regadas a “New Age” se esconde o amor que irá crescer para sempre ...
Gabriel Gaya (APJCC)

17 de janeiro, quinta-feira


16h
4°- O Espião que sabia demais, de Tomas Alfredson
Passado em 1973, em plena Guerra Fria, o longa gira em torno de George Smiley (Gary Oldman), um veterano da divisão de elite do serviço secreto inglês conhecida como Circo. Após a morte de seu ex-chefe e de alguns fracassos em missões internacionais, ele é chamado para desvendar um mistério sobre a identidade do agente duplo que, durante anos, trabalhou também para os soviéticos. Todos à sua volta são suspeitos, mas, como bons espiões que são, foram treinados para dissimular e trabalhar em condições de extrema tensão.

18h30
3°- J.Edgar, de Clint Eastwood
Sendo sincero, eu já estava me chateando com o Clint Eastwood. Invictus e Além da Vida foram filmes que não me desceram e eu simplesmente não entedia o que se passava com o diretor de Menina de Ouro, A Troca e Gran Torino.
Então veio o quase preto e branco de J. Edgar e as coisas voltaram a fazer sentido. Voltaram a sensibilidade, a delicadeza, a força, a contundência, o rigor, Cint voltou (alguns poderão dizer que ele não havia se ido de todo, mas eu estava com saudade de uma boa parte). Afinal, existem histórias de amor, e existem histórias de amor dirigidas por Clint Eastwood. E, como em cada um dos seus maravilhosos filmes anteriores, aqui o beijo (único) também vem acompanhado de uma enxurrada de socos e pontapés – daí jamais ser esquecido, daí ser eterno.
Felipe Cruz (APJCC)

Dia 18 de janeiro, sexta-feira


16h
2°- Drive, de Nicolas Winding Refn
“Do amor romântico ao terror catártico em questão de segundos”
O filme que subverteu o gênero “Ação” e que entrou no circuito de cinema oficial em 2012 causou comoção ainda em 2011 quando vazou na internet . O boca a boca gerado na blogsfera,conversas de bar, redes sociais e sites especializados acabou fazendo o filme crescer em público...O tratamento elegante dado as cenas de violência e afeto protagonizadas por um herói lacônico dão a tonica do filme junto a um forte apelo revivalista do universo “Synth”.
Gabriel Gaya (APJCC)

18h30
1°- Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
Re- inventor do humor chuvoso a La “Peanuts” Wes Anderson retoma perifericamente ao tema da orfandade em seu último filme “Moonrise Kingdom”, um libelo sobre a crueza do amor infanto-juvenil feito por quem nunca subestimou (assim como a supracitada tira de quadrinhos/desenho animado) a sensibilidade das crianças grandes que somos todos nós.
Gabriel Gaya (APJCC)

Serviço:

Dia 09, 10, 11, 17 e 18 de janeiro
Sessões às 16h e 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA
Realização: APJCC e CCBEU

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8374-9497
(91) 8158-1840

5.12.12

Melhores do Ano 2012

Depois de algum tempo sem atualizações, o blog da APJCC retoma as atividades com boas notícias: vem aí mais uma Mostra Melhores do Ano! Enquanto acertamos os últimos detalhes, aproveitamos para divulgar as listas individuais dos melhores filmes de 2012, segundo os integrantes da Associação. Nas listas, constam tanto filmes deste ano quanto outros feitos em anos anteriores, mas que apenas há poucos meses estrearam no circuito brasileiro.
Concordem, discordem.
Opinem


AERTON MARTINS

1- O espião que sabia demais, de Tomas Alfredson
2- Millenium - os homens que não amavam as mulheres, de David Fincher
3- J. Edgar, de Clint Eastwood
4- Drive, de Nicolas Winding Refn




CAUBY MONTEIRO
1 - Caminho para o nada, de Monte Hellman
      Cosmopolis, de David Cronenberg
      Holy motors, de Leos Carax
      Mistérios de Lisboa, de Raul Ruíz 
      4:44 Last Day on Earth, de Abel Ferrara
2 - Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
     Espião que sabia demais, Thomas Alfredson
3 - Em outro país, de Hong Sang-soo
4 - Habemus papam, de Nanni Moretti
5 - Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant



FÁBIA MARTINS
1 - Drive, de Nicolas Winding Refn
2 - J.Edgar, de Clint Eastwood
3 - Millenium – os homens que não amavam as mulheres, David Fincher
4 - Precisamos falar sobre o Kevin, de Lynne Ramsay
5 - A invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese
6 – Valente, de Brenda Chapman
7 – Prometeus, de Ridley Scott
8 – A perseguição, de Joe Carnahan
9 - Um método perigoso, de David Cronenberg
10 – Shame, de Steve Mcqueen



FELIPE CRUZ
1- Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
2- Caminho para o nada, de Monte Hellman
3- Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant
4- J. Edgar, de Clint Eastwood
5- Espião que Sabia Demais, de Tomas Alfredson
6- Pina, de Wim Wenders
7- Drive, de Nicolas Winding Refn
8- Deus da Carnificina, de Roman Polasnki
9- A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese
10- Valente, de Brenda Chapman
      As vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky



GABRIEL GAYA
1- Eva no Verão, de Dodô Azevedo (curta)
2- Moonrise Kingdom, de  Wes Anderson
3- Millenniun - os homens que não amavam as mulheres, de David Fincher
4- Drive, de Nicolas Winding Refn
5- Remixtexturas, de Lucas Gouvea e Mateus Moura




GUIMARÃES NETO
1. Precisamos Falar Sobre o Kevin, de Lynne Ramsay
2. Drive, de Nicolas Winding Refn
3. J Edgar, de Clint Eastwood
4. Moonrise Kingdom, de Wes Anderson






JULIANA MAUÉS
1 - Cosmopolis, de David Cronenberg
2 - Caminho para o nada, de Monte Hellman 
3 - Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant
4 - J.Edgar, de Clint Eastwood
5 - 4:44 Last Day on Earth, de Abel Ferrara
     O homem da máfia, de Andrew Dominik    
     Drive, de Nicolas Winding Refn
     O espetacular homem aranha, de Marc Webb
6 - Pina, de Wim Wenders
     A invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese




LUAH SAMPAIO
1 - Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
2 - Drive, de Nicolas Winding Refn
3 - O céu sobre os ombros, de Sergio Borges.








MATEUS MOURA
1 - A morte de Carlão Reichenbach
2 - Um alguém apaixonado, de Abbas Kiarostami
3 - Moonrise kingdom, de Wes Anderson
4 - Drive, de Nicolas Winding Refn








MAX ANDREONE
1 - The Dark Knight Rises, de Christopher Nolan
2- J. Edgar, de Clint Eastwood
3 - O espião que sabia demais, de Tomas Alfredson
4 - 4:44 Last Day on Earth, de Abel Ferrara
5 - Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
6 - Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant



MIGUEL HAONI
1 - Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
2 - Millenium - Os Homens Que não Amavam as Mulheres, de David Fincher
3 - J. Edgar, de Clint Eastwood
4 - A Fábrica, de Aly Muritiba








RODRIGO CRUZ
1 - Cosmópolis, de David Cronenberg
2 - A Febre do Rato, de Cláudio Assis
3 - Drive, de Nicolas Winding Refn
4 - Um alguém Apaixonado, de Abbas Kiarostami
5 - Um método perigoso, de David Cronenberg
6 - Millenium - os homens que não amavam as mulheres, de David Fincher
7 - Pina, de Wim Wenders
8 - Shame, de Steve Mcqueen
9 - Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
10 - A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese



TIAGO FREITAS
1- Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant
2-Drive, de Nicolas Winding Refn
3- Espião que sabia demais, de Tomas Alfredson
4- Moonrise Kingdom, de Wes Anderson
5- 4:44 Last Day on Earth, de Abel Ferrara
6-O Céu sobre os ombros, de Sergio Borges
7-Pina, de Wim Wenders
8- Shame, de Steve Mcqueen

3.10.12

Cine CCBEU apresenta "Fuga para Odessa", de James Gray



Sinopse:
Joshua (Tim Roth) retorna ao seu antigo bairro para um pequeno “serviço”. Sua presença no local faz emergir antigas dívidas e conflitos. A família e a máfia são a moldura opressora sobre o sombrio Joshua que parece não ter como escapar do seu passado.

País: Estados Unidos
Ano:1994
Duração: 98 minutos
14 anos

Serviço:
Quinta-feira, dia 04 de Outubro
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

18.9.12

Cine CCBEU apresenta "A morte passou por perto", de Stanley Kubrick - Sessão especial de 57 anos do CCBEU




Sinopse:
Em Nova York um lutador de boxe conhece uma dançarina quando esta é atacada por seu patrão e amante. Este acontecimento acaba provocando o envolvimento dos dois, mas o amante preterido, dominado pelo ciúme e pelo ódio, manda matar seu rival. Entretanto, em virtude de um equívoco, os capangas matam o empresário do lutador. O casal, vendo que corre perigo, tenta deixar a cidade para sempre.

País: Estados Unidos
Ano:1955
Duração: 67 minutos
12 anos

Serviço:
Dia 19 de Setembro, Quarta-feira (Excepcionalmente)
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

Cine CCBEU apresenta "A vingança do kung-fu", de Chang Cheh



Sinopse:
Durante os anos 20, na China, a esposa de um famoso ator de ópera é assediada por um chefe da máfia, que manda matar o artista de maneira brutal. Logo surge o irmão mais novo do homem, um violento e psicótico lutador, que resolve vingar a morte do ator.

País: Hong Kong
Ano:1970
Duração:98 minutos
14 anos

Comentários: Juliana Maués (APJCC)

Serviço:
Quinta-feira, dia 20 de Setembro
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

10.9.12

Cine CCBEU apresenta "O Matador", de John Woo



Sinopse: 
Atormentado por um complexo de culpa e pelo desejo de vingança, Jeff (Chow Yun Fat) um matador profissional se depara com Lee (Danny Lee), um policial veterano que no corrupto submundo de Hong Kong, lança mãos de todos os métodos possíveis para capturá-lo. Dois homens obstinados com a idéia de cumprir seu dever. Entre eles surge uma amizade ambígua, com diferentes visões de honra e moral. Amor, violência, traição, vingança e amizade se misturam nesta verdadeira obra-prima de John Woo.

País: Hong Kong
Ano:1989
Duração: 111 minutos
14 anos

Serviço:
Quinta-feira, dia 13 de Agosto
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria Cine CCBEU: Tiago Freitas e Max Andreone

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

25.8.12

Cine CCBEU apresenta "Millennium - Os homens que não amavam as mulheres", de David Fincher



Sinopse:
Harriet Vanger (Moa Garpendal) desapareceu há 36 anos, sem deixar pistas, em uma ilha no norte da Suécia. O local é de propriedade exclusiva da família Vanger, que o torna inacessível para a grande maioria das pessoas. A polícia jamais conseguiu descobrir o que aconteceu com a jovem, que tinha 16 anos na época do sumiço. Mesmo após tanto tempo, seu tio Henrik Vanger (Christopher Plummer) ainda está à procura e decide contratar Mikael Bomkvist (Daniel Craig), um jornalista investigativo que trabalha na revista Millennium. Bomkvist, que não está em um bom momento por enfrentar um processo por calúnia e difamação, resolve aceita a proposta e começa a trabalhar no caso. Para isso, ele vai contar com a ajuda de Lisbeth Salander (Rooney Mara), uma investigadora particular incontrolável e anti social.

País: Estados Unidos, reino Unido, Suécia e Alemanha
Ano:2012
Duração: 148 minutos
14 anos

*O filme será exibido em blu-ray com projetor de alta-definição.

Serviço:
Dia 30 de Agosto, quinta-feira
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria do Ciclo David Fincher: Aerton Martins (APJCC)

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

24.8.12

Sessão Daqui apresenta vídeos de Vince Souza, Felipe Silva e Rodrigo Sardo


Vídeos de Vince Souza:

FIGURINHAS DO CINEMA (Vídeoarte de animação, 01:16, 2005)
Storyboard animado de alguns dos milhares personagens que fizeram história nas salas de cinema.
Primeiro lugar no Festival Demonstração da UNAMA em 2005 na categoria vídeoarte de animação.

SANGUE SOLLO (Vídeoarte de animação, 01:21, 2006)
Seqüência de uma perda e solidão de alguém.

CONTROLE REMOTO (Vídeoclipe de animação, 03:35, 2007)
Em um mundo bizarro onde todos somos controlados como robôs quando o controle remoto liga a TV.
Resultado de Produção de Graduação em 2007.

O DIA SEGUINTE (Vídeo, 03:17, 2011)
História sobre comparações e semelhanças de um casal em sua própria dimensão. O estranho é além de viverem sua própria dimensão, o casal nem ao menos se conhecem.
Projeto realizado no primeiro edital Fotoativa de Vídeoarte.

Vídeo de Felipe Silva:

SEGREDOS POSTAIS (Vídeo, 2012)
Depois de 24 anos, vivendo uma vida solitária, Sofia se depara com uma situação inesperada sobre seu passado. Por meio de cartas um segredo abre caminho para uma grande descoberta.
O que falam as cartas?
A investigação de Sofia avança muito além do que poderia imaginar ...

Vídeos de Rodrigo Sardo:

VINDICTA(Vídeo, 5:01, 2011)
Em uma cidade considerada o centro da Mafia, o Boto era o centro de todo o medo, fazendo com que todas as pessoas o temessem e vivia subornando autoridades para que nao fosse pego.
A vida do Boto muda quando obriga a garota Isabel a ser sua serva. O trauma de Isabel foi transferido para seu marido, Leoncio, um militar que jura para si mesmo que ira fazer justica que todos da cidade esperam, mas por falta de poder nao podem fazer.
Boto, o simbolo supremo da Mafia local e um homem requisitado e poderoso, que possui varios capangas para protege-lo, matando quem ousar interferir no seu caminho.
Tanto poder e posto a prova quando Leoncio busca uma vingança amorosa.

RODOVIA 13(Vídeo, 6:03, 2012)
Uma onda de ataques e registrada em uma pequena cidade deserta. As caracteristicas dos assassinatos se ligam em um unico aspecto, aguçando ainda mais a curiosidade dos investigadores Heitor e Felipe.
Kaue e Lais, sao um casal de namorados que se dao bem com os seus jeitos cotidianos, nao dando muita importancia para os acontecimentos na cidade proxima. Os dois sao obrigados a viajarem para resolverem assuntos familiares, quando conhecem a verdadeira face do terror.
Hugo, e um medico maniaco e sem culpa de seus atos mais macabros. Tem prazer no sofrimento alheio e e adepto a pratica da lobotomia. Em um de seus estudos, o doutor fara experiencias novas, aumentando ainda mais seu odio e criatividade nos seus assassinatos.
Heitor e Felipe irao fazer de tudo para que o caso seja encerrado, mas nao fazem a minima ideia do que terao que passar para infrentar a ira do medico desconhecido e fanatico por mortes.

* * *

A "Sessão Daqui" é um projeto do Sesc Boulevard em parceria com a APJCC (Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema) que tem o intuíto de dar visibilidade ao cenário audiovisual Paraense.

Serviço:
Dia 29 de Agosto, quarta-feira, às 19h00
no Sesc Boulevard
(Avenida Boulevard Castilho França, 522/523-Campina)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e SESC Boulevard
Curadoria: Tiago Freitas (APJCC)

Mais informações:
sescboulevard.blogspot.com.br
Twitter: @sescboulevard
Twitter: @sescboulevard
Twitter da APJCC
Facebook

(91) 8421-8071
(91) 8158-1840
(91) 3224-5654

19.8.12

Cine CCBEU apresenta "A rede social", de David Fincher



*Ciclo David Fincher

Dia 23/08- "A Rede Social"

Sinopse:
Em uma noite de outono em 2003, Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), analista de sistemas graduado em Harvard, se senta em seu computador e começa a trabalhar em uma nova ideia. Apenas seis anos e 500 milhões de amigos mais tarde, Zuckerberg se torna o mais jovem bilionário da história com o sucesso da rede social Facebook. O sucesso, no entanto, o leva a complicações em sua vida social e profissional.

País: Estados Unidos
Ano:2010
Duração: 120 minutos
12 anos

*O filme será exibido em blu-ray com projetor de alta-definição.

Serviço:
Dia 23 de Agosto, quinta-feira
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU (Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria do Ciclo David Fincher: Aerton Martins (APJCC)

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook 
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

10.8.12

Cine CCBEU apresenta "Zodíaco", de David Fincher



Sinopse:
1º de agosto de 1969. Três cartas diferentes chegam aos jornais San Francisco Chronicle, San Francisco Examiner e Vallejo Times-Herald, enviadas pelo mesmo remetente. A carta enviada ao Chronicle trazia a confissão de um assassino, dando detalhes da morte de 3 pessoas e da tentativa de homicídio de outra, com informações que apenas a polícia e o assassino poderiam saber. As três cartas formavam um código que supostamente revelaria sua identidade ao ser decifrado. O assassino exigia que as cartas fossem publicadas, caso contrário mais pessoas morreriam. Um casal de Salinas consegue decodificar a mensagem, mas é Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), um tímido cartunista editorial, que descobre sua intenção oculta: uma referência ao filme "Zaroff, o Caçador de Vidas" (1932). Os assassinatos e as cartas se sucedem, provocando pânico na população de San Francisco. A situação faz com que os detetives David Toschi (Mark Ruffalo) e William Armstrong (Anthony Edwards) e o repórter Paul Avery (Robert Downey Jr.), que trabalham no caso, tornem-se celebridades instantâneas. Graysmith, que trabalha no mesmo jornal de Avery, apenas ajuda quando lhe é permitido. Mas o Zodíaco, como o assassino era chamado, estava sempre um passo a frente.

País: Estados Unidos
Ano:2007
Duração: 162 minutos
14 anos

O filme será exibido em blu-ray com projetor de alta-definição.

Serviço:
Dia 16 de Agosto, quinta-feira
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria do Ciclo David Fincher: Aerton Martins(APJCC)

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

9.8.12

APJCC e Mongoloid Festival apresentam "A volta da Sessão Maldita"


Não existe pior maldição para um artista do que a invisibilidade de sua obra. Seja um rabiscado em um quadro, uma música barulhenta ou um filme que desafia o mercado - produtos que extrapolam a linha do normal e que peitam o gosto vigente. É esse abandono, aparente descaso, que o Mongoloid Festival, procura combater, trazendo soldados munidos de talento de sobra, mas que, geralmente, não conseguem exibir suas armas, seja por um autoritarismo invisível ou pela costumeira falta de amor, ausência de boa vontade.

Eis que, no meio do fogo cruzado, na artilharia “imunda” e linda que ouvidos sedentos clamam por escutar, ela (res)surge, a Sessão Maldita. O projeto nasceu em meados dos anos 60 no eixo sul-sudeste do Brasil e sempre levou o público a (re)fazer um caminho, a fim de desbravar e tatear novos territórios, com filmes transgressores, invisíveis, independentemente do gênero e da nacionalidade. Levou também inúmeras obras ao público paraense na sala do Cine Líbero Luxardo. Agora, em sessão especial, Dance like trash e APJCC, apresentam, na exibição que abre a programação do Mongoloid Festival, os filmes “Ex-Drummer” e “Psycho Atack Brasil”.

O primeiro narra a aventura de três deficientes - um com o braço paralisado, um guitarrista surdo e um vocalista demente, que bate em mulher e tem a língua presa -, que chamam um escritor famoso da cidade para formarem uma banda. No documentário “Psycho Atack Brasil”, conhecemos a trajetória do Psychobilly brasileiro.
O próprio realizador, Darwin Dias – ex-integrante dos Cervejas, uma das primeiras bandas de Psychobilly de Curitiba -, enfatiza qual seu nervo principal: “Não é um filme profissional, sou amador, é simplesmente um vídeo de quem viveu isso e quis contar uma história”. Além da exibição dos filmes, haverá a presença de uma das grandes atrações da noite de sábado do festival, As Diabatz, para um bate papo com o público.

A lona está armada. Preparem-se. Sendo circo ou vida, repleta de palhaços, pirangueiros, música, figuras robustas de mini-saia, baforadas no cangote, farofa de ovo e o que aparecer. Respirar um pouco de insanidade não deve fazer tão mal aos pulmões. Afinal, viver é uma gostosa imersão na loucura.

Aerton Martins (APJCC- 2012)

Serviço
Dia 09 de agosto, quinta-feira
Às 17h00 na loja Ná Figueiredo(Avenida Gentil Bittencourt, 449)
Entrada Franca

Realização: APJCC e Mongoloid Festival
Apoio: Ná Figueiredo e The Same New

Mais informações:
(91) 8152-2588
(91) 8383-1757

4.8.12

Cine CCBEU apresenta "Clube da Luta", de David Fincher



Sinopse: 
Jack (Edward Norton) é um executivo jovem, trabalha como investigador de seguros, mora confortavelmente, mas ele está ficando cada vez mais insatisfeito com sua vida medíocre. Para piorar ele está enfrentando uma terrível crise de insônia, até que encontra uma cura inusitada para o sua falta de sono ao frequentar grupos de auto-ajuda. Nesses encontros ele passa a conviver com pessoas problemáticas como a viciada Marla Singer (Helena Bonham Carter) e a conhecer estranhos como Tyler Durden (Brad Pitt). Misterioso e cheio de ideias, Tyler apresenta para Jack um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais.

País: Estados Unidos e Alemanha
Ano:1999
Duração: 139 minutos
16 anos

*O filme será exibido em blu-ray com projetor de alta-definição.

Serviço:
Dia 08 de Agosto, quarta-feira (excepcionalmente)
Às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria do Ciclo David Fincher: Aerton Martins(APJCC)

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail
Twitter da APJCC
Facebook
8421-8071
8158-1840

30.7.12

Cine CCBEU apresenta "Seven - os sete crimes capitais"



Ciclo David Fincher

Dia 02/08- "Seven-Os Sete Crimes Capitais"

Sinopse:
Dois policiais, um jovem e impetuoso (Brad Pitt) e o outro maduro e prestes a se aposentar (Morgan Freeman), são encarregados de uma periogosa investigação: encontrar um serial killer que mata as pessoas seguindo a ordem dos sete pecados capitais.Sinopse:

País: Estados Unidos
Ano:1995
Duração:128 minutos
16 anos

Serviço:
Quinta-feira, às 18h30 no Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA
O filme será exibido em blu-ray em projetor de alta-definição.

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria do Ciclo David Fincher: Aerton Martins(APJCC)

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook
(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

16.7.12

Matadouro apresenta "Beatrice Cenci", de Lucio Fulci



Lucio Fulci é a pele do cinema, exposta. Lagarto, troca de gênero, jamais de olhar; sua língua é afiada, caçadora. Nossas emoções, insetos. Fisiológico, Lucio Fulci é a pele do espírito, exposta. É o que pulsa.
Assisti-lo é um corpo-a-corpo, um olho-no-olho, nos eleva ao extremo estado das emoções mais selvagens: do voyeurismo ao sado-masoquismo, do desejo ao medo, da agonia ao prazer, do horror ao amor. É a tempestade que lampeja detrás da retina do cinéfilo ao contato eriçado do seu aparato captador áudio-visual com imagens/sons explosivas que se oferecem num sonho sangrento, maravilhoso e inefável. É a contemplação da ação dos ossos quebrando, das veias estourando, do sangue jorrando, dos olhos furando. É a emoção - aquele movimento de dentro pra fora, que nos faz sentir vivos. É a violência inventada, saboreada como ficção. É a pulsão destrutiva saciada na comunhão com a arte.
Em uma palavra: Lucio Fulci é o GORE. Ou em bom português: as Vísceras.

SERVIÇO:
Quarta-feira, 18 de julho
18:30
no ICA - Praça da Republica (Pres. Vargas)
Entrada franca

Cine CCBEU apresenta "Fogo contra fogo", de Michael Mann



País: Estados Unidos
Ano:1995
Duração: 171 minutos
12 anos

Comentários de Aerton Martins e Cauby Monteiro(APJCC)
O filme será exibido em blu-ray com projetor de alta-definição.


A poesia do crime

Michael Mann é um realizador que tem em seu currículo, entre outros, o feito de ter despejado cores em uma das grandes séries americanas dos anos 80, Miami Vice. A falácia interminável, e enfadonha, no meio artístico, à época, 1995, sobre a nova empreitada do diretor, chamada Fogo Contra Fogo, era calcada em apenas uma dimensão: o encontro de dois gigantes nas telas, Robert de Niro e Al Pacino. Grande parte das quase três horas de duração do espetáculo visual que o diretor oferece é baseado em um confronto da vida real de um detetive de Chicago, Chuck Adamson. Parceiro do cineasta em vários filmes, incluindo Fogo Contra Fogo, Chuck ajudou a tirar da câmera a trama sobre a obsessão de dois indivíduos e suas profissões. A filmografia de Mann carrega em seu corpo a tatuagem do crime. Suas amizades com alguns detetives da policia da vida real o ajudaram a estabelecer em suas obras a dinâmica viva, palpável, do crime sem enfeites. O que é visto na tela é o resultado de vinte anos de pesquisa. O que interessa a Mann é a natureza humana de criminosos e policiais. Nada mais que indivíduos. E, se o individuo corrompe ou não, é dado a ele o direito de se mostrar.
E, a nós, o de conhecer os seus meios, o planejamento, suas almas e seus sinais. Nada mais justo que, nesse tempo dilatado em uma superfície plana, chamada tela, cinema, o diretor possa expressar seu sentido artístico, sua essência e voz. No caso de Fogo Contra Fogo, transfigurada em uma gritaria que beira o irreal. Nesta obra, filmada com pulso firme pelo próprio diretor, Mann abraça a obsessão de suas personagens, gosta de operar a câmera, de invadir e olhar sua cria de perto. A suposta realidade dentro da obra perde espaço para o jogo restaurador que ele executa. Chama dois dos grandes astros de filmes de ação para um confronto: uma batalha de emoções que raras vezes a tela pôde testemunhar. É no terreno dos filmes de gênero que Fogo Contra Fogo pisa, restaurando-o como uma agulha incendiária.
Na obra, a dedicação que os indivíduos possuem com seus trabalhos cheira forte em cada ambiente. Esse sentimento forte, desenfreado, por parte dos heróis - sim, na obra mocinho e bandido são dois lados da mesma moeda - com seus trabalhos, os coloca em um casulo de envelhecimento. A solidão que rasga do peito de Vincent e Neil, duas almas cambaleantes, é sentida na textura visceral que compõe cada cena. Difícil e raro tratamento na sétima-arte, o objeto filmado deixar escapar profunda comunhão entre os vários artifícios e acessórios que a compõem: plasticidade das imagens, trilha sonora, texto, riqueza dos personagens. A Los Angeles retratada é o isolamento encurralando as duas feras que buscam se completar na escuridão trágica de suas vidas - vazias, quando separadas de seus ofícios, de suas obstinações. Testemunhar a operação religiosa dos personagens em Fogo Contra Fogo é sair cego de um tiroteio melancólico e poético, onde poucas vezes o cinema soube enfrentar.

Aerton Martins ( APJCC - 2012)


Serviço:
Dia 19 de Julho, quinta-feira às 18h30
Cine Teatro do CCBEU
(Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA


Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria: Tiago Freitas e Max Andreone

Mais informações:
cineccbeu.blogspot.com
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook

8421-8071
8158-1840

7.7.12

Sessão especial do Cine CCBEU apresenta "Belo Monte: anúncio de uma guerra", de André D'Elia




"Belo Monte, Anúncio de Uma Guerra“, filme independente sobre a construção da controversa Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará. O documentário foi dirigido por André D’Elia e patrocinado por “Crowdfunding”, precisamente 3429 apoiadores que contribuíram usando o sistema Catarse. É um filme necessário para nosso esclarecimento, com 1h44min de depoimentos e gravações com líderes e pessoas das comunidades locais e diversas figuras envolvidas no processo, de políticos à caciques, de ambientalistas à retirantes em busca de emprego. E principalmente com índios, os habitantes originais dessa terra, os atuais moradores das margens do Rio Xingu, onde Belo Monte e provavelmente outras usinas estão prestes a ser construídas.


Convidados confirmados até o momento para o debate após o filme: 
Lúcio Flávio Pinto (Jornalista)
Felício Pontes Jr. (Procurador da República do Ministério Público Federal do Pará)


Antes da sessão, às 17h30, será exibido o trabalho audiovisual:


Dossiê: por uma cartografia crítica da Amazônia 
RMXTXTURA pré-logos: Perigoso e Divertido (13 min.)

"-Agora abrir os olhos. Agora sonhar o sonho de ver como somos vistos.". O mote de Vicente Franz Cecim é a mortalha que dá vida aos 13 minutos dessa apresentação de um processo: "Dossiê: por uma cartografia crítica da Amazônia". Há 2 meses iniciou-se a busca de uma síntese. Pontos críticos desse enigma alcunhado Amazônia começaram a se grafar em Dossiê (material e digital). “Redes locais, Autonomia”, “Vontade de Potência”, “Estamos em greve”, “Entre rios, rua e igarapés” são os fascículos que acompanham esse “Prólogo: Perigoso e Divertido”. 
Coordenado por Giselli Vasconcellos, e tendo na equipe Romario Alves, Ícaro Gaya, Lucas Gouvea, Bruna Suellen e Arthur Leandro, e quaisquer colaboradores, o processo (que sempre estará em processo) de construção desse documento aberto pretende, entre outras coisas, olhar do alto, de baixo, de dentro, de fora, na altura dos olhos, no espelho. AMAZÔNIA é o nome da floresta-enigma que está sendo in-plorada. Trabalhoso.
Os vídeos em construção são chamados até então de remix-texturas (rmx txt ura’s), 'remix' enquanto ressignificação do que já existe, 'texto' (no sentido máximo, sendo sinônimo de imagem – visual, sonora, conceitual) e 'urdidura' (s.f. ação ou efeito de urdir; conjunto de fios no tear por entre os quais se faz a trama; Fig. tramóia, intriga, maquinação).
Colaborativo, o viés do projeto/processo abre à opinião pública as portas (digitais e materiais). Há muitos afetos para se construir, muitos paradigmas para se destruir, muitas árvores para compreender. Por outras cartografias.

Serviço:
Dia 12 de julho, quinta-feira
Programação a partir das 17h30
Cine Teatro do CCBEU (Travessa Padre Eutíquio, 1309)
ENTRADA FRANCA

Realização: APJCC e CCBEU
Apoio: Cine GEMPAC
Curadoria: Tiago Freitas(APJCC)


Mais informações:
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook

(91) 8421-8071
(91) 8158-1840

30.6.12

Cine CCBEU apresenta "Domingo Maldito", de John Schlesinger



Sinopse:

Bob Elkin (Murray Head) é um jovem designer que divide sua atenção e favores entre dois amantes, ambos mais velhos do que ele. Os amantes de Bob são a consultora de negócios divorciada, Alex (Glenda Jackson) e Daniel, um médico judeu de meia-idade.

Sessão Daqui apresenta destaques do prêmio Osga


A "Sessão Daqui" é um projeto do Sesc Boulevard em parceria com a APJCC(Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema) que tem o intuíto de dar visibilidade ao cenário audiovisual Paraense.
Neste mês de julho serão exibidos os curtas premiados no Osga 2012.

Matadouro retorna com exibição de "As fugitivas", de Jean Rollin


MATADOURO de volta, enfim Jean Rollin.

Depois de ser enforcado, passar uma estadia no além e atravessar dois córregos entre o céu o inferno com o Carlão Reichenbach, o MATADOURO volta para cumprir seus TRABALHOS.
Na próxima quarta-feira, dia 04 de julho, às 18h30, exibição, enfim, de La Nuit des Traquées de Jean Rollin. Esta sessão é dedicada em luto ao Carlão, aos espectadores que foram na sessão que foi cancelada e à todos os amantes do gênero e da cinefilia.

7.6.12

29.5.12

APJCC e Sesc Boulevard realizam curso de cinema oriental contemporâneo

Curso de Cinema Asiático Contemporâneo: enfim às Índias

Se houve vezes na História do Cinema em que os EUA trouxeram a novidade, ou a França, a Itália, o Brasil, a URSS, hoje, sem dúvida, é dos países do Extremo Oriente que surgem os objetos mais notadamente não-identificados. Afora o movimento forte de vanguarda, parece vir de lá, como se não bastasse, o melhor “cinema clássico” assim como o melhor “cinema comercial”.
Tais cinematografias, por se tratarem de obras experimentais e/ou distantes, tem circulação restrita a poucos circuitos alternativos. Devido a essa falta de acesso, acabamos creditando a outros o pódio que outros mereciam ocupar.
O “Curso de Cinema Asiático Contemporâneo: enfim às Índias” propõe uma grande navegação a esse inexplorado continente, tão rico e fascinante. A cartografia deverá ser crítica, os olhos nus, a vontade de exploração criativa. Serão 4 módulos, 2 cineastas perseguidos em cada. Enfim às Índias, sem sair do lugar.

25.5.12

Cine CCBEU comemora 3 anos com sessão especial


O último dia 21 marcou exatos 3 anos desde que a sessão de "O Poderoso Chefão" inaugurou uma das parcerias mais frutíferas da APJCC. A trilogia de Francis Ford Coppola foi apenas o ponto de partida do Cine CCBEU. A trajetória inclui obras de diretores ilustres, outros nem tanto, alguns elogiados pela crítica, outros mais considerados pelo público. A todas, foi dado o direito de exibição e debate, direitos mínimos de toda obra audiovisual.

Matadouro apresenta "As Fugitivas", de Jean Rollin




Próximo à hora perifeérica do amanhecer, ainda nas brumas da madrugada, uma mulher corre desesperada por uma estrada, nas imediações de Paris. Elizabeth é seu nome, é a única coisa da qual se lembra. Ela só vive o presente, não há futuro ou passado, apenas o imediato, tal qual o cinema e a condição de assistir em que existimos.

17.5.12

Cine CCBEU apresenta "Natal Sangrento", de Bob Clark



“Black Christmas” é considerado por muitos o nascimento do Slasher moderno, pois toda iconografia do gênero esta lá: câmera subjetiva, os telefonemas ameaçadores, limitação do espaço onde os crimes ocorrem, a data comemorativa e a cereja do bolo... a garota sobrevivente!

7.5.12

Cine CCBEU apresenta "Por trás da máscara", de Scott Glosserman



Você já conhece os lendários maníacos "Jason Voorhees", "Michael Myers" e "Freddy Krueger". Agora, vai conhecer Leslie Vernon, o próximo grande assassino psicótico.

APJCC participa de sessão do Cine Mário Peixoto


O CINE MÁRIO PEIXOTO informa:

A próxima sessão não será na sexta às 16 , mas duas sessões especias nos dias 09/03 e 10/03, devido à realização da 2° semana acadêmica dos estudantes de Letras (SAEL), evento que o CINE MÁRIO PEIXOTO constroi juntamente com Calem Uepa. Assim, nossa programação será:

24.4.12

Vale a pena ver de novo?


Desde 2006, ano em que o Cine Olympia “passou” das mãos da família Severiano Ribeiro para a mesa da prefeitura, a novela anda se arrastando - digna de um dramalhão que faria qualquer Maria do Bairro meter o rosto na lama de tanta vergonha.  2012 é o ano de comemorar, bradar, puxar o último sinal de oxigênio. De estufar o peito e gritar de joelhos nas maltratadas mangueiras de nossa cidade, que, em Belém do Pará, existe, quiçá, o cinema mais antigo em atividade do mundo. Que honra!

12.4.12

Sessão de estreia do Projeto Matadouro acontece na quarta, 18



MATADOURO apresenta:

Filme Demência. Carlos Reichenbach. 1985.

MATADOURO, em sua estréia, presta homenagem a um de seus gurus espirituais máximos. Não há, no Brasil, quem milite de forma mais acintosa pela cultura livre: dos downloads, das sessões, dos olhos. Com suas ações e suas obras, Carlos Reichenbach ilumina toda uma geração.

Fim de semana do horror em Cotijuba

Finalização de filme e debates marcam o fim de semana em Cotijuba. Programação também exibirá 'The Evil Dead', horror dirigido por Sam Raimi.

11.4.12

Cine CCBEU apresenta "Intervenção Divina", de Elia Suleiman




Sinopse: 
A cidade de Nazaré, sob uma aparente normalidade, ferve. Enquanto sua empresa vai à falência, um homem resolve tomar uma atitude e dar um fim às mesquinhas brigas cotidianas que infernizam sua vida.

1.4.12

APJCC e Sesc Boulevard promovem oficina de Literatura e Cinema


Literatura  e  Cinema   são   artes  que   sempre caminharam   juntas  –  muito  se  fala   da influência   de   uma   sobre   a  outra,  da contribuição  de  uma  para  a  outra.  Esta   oficina  pretende  abordar  essa  relação  já  centenária,  porém  sem  recorrer  necessariamente  à  adaptação  cinematográfica  propriamente  dita.

26.3.12

Cine CCBEU apresenta curtas paraenses


Kronos, Cinco minutos e O meu é especial serão exibidos na quinta, 29.

Cine Sesc Boulevard apresenta: Vídeos de Danielle Fonseca

    O Cine SESC Boulevard receberá os filmes da artista visual Danielle Fonseca, serão exibidos os videoarte “O Tao Caminho”, “Rumo ao Farol” e o média-metragem “A Vaga".
    A poética de construção dos trabalhos artísticos de Danielle é composta a partir de elementos da literatura, da música e da paisagem, e é nesse universo que a artista realiza também seus vídeos.

20.3.12

Cine Gempac apresenta a opção de Candeias


Aopção ou As rosas da estrada. Ozualdo Candeias. 1981. p/b. Brasil.
Depois de mais de 10 minutos de cenas documentais da vida nas beiras das estradas canarinhas, 3 vezes o close intercalado pelos caminhões, o sol na cara, a fala que expressa a vulgaridade (vulga verdade); a luz é estourada, a cabeça meneia, o olhar é cabisbaixo: “Êta vidinha de merda!”. É o início de “Aopção ou Rosas da estrada” & a cartela de todo o cinema de Ozualdo Candeias, um dos cineastas mais inventivos de todos os tempos.
Ozu Candeias, como o Ozu Yasujiro, de 50 mm empunhada, está preocupado, acima de tudo, com a realidade. Mas a realidade enquanto linguagem – que a fotografia inventou, e que o cinema encampou em duração.
O Pasolini brasileiro, o Cassavetes das valas, o Vigo dos trópicos, o Buñuel do Tietê, o Mario Peixoto cine-reencarnado... a verdade é que nenhuma comparação atinge a originalidade deste cineasta apócrifo de qualquer Bíblia do Cinema.

A tragédia é sua alçada, a desesperança o seu tom, a crueza o seu habitat. Não sobrevive da miséria, vive nela. Da destruição cria, do horrível faz poesia. Inventor de formas, eterno experimentador, ser que só poderia se expressar plenamente na forma audiovisual. Reúne no ato fílmico o ápice da evasão onírica e o zênite do poder de registro. Com a câmera em mãos esquadrinha o mundo decantado pela sua imaginação.

Caminhoneiro, pela estrada da vida sempre perseguiu no horizonte o cinema, e nas margens o mundo.

Mateus Moura (APJCC - 2012)

Serviço:
Local: Sede Gempac- Padre Prudêncio esquina com General Gurjão.
Hora: 15h30
Data: 22/03/2012
Entrada franca.