Integrantes

Aerton Martins
Membro-criador do Grupo Fellinianos e da APJCC. Coordenou entre novembro de 2007 e dezembro de 2009, a Sessão Maldita no Cine Líbero Luxardo (Centur). Escreve regularmente sobre cinema e música, além de discutir a política de exibição na cidade no blog Cinema na Mangueirosa. Ministrou oficina de “Introdução à Linguagem Cinematográfica” na Fundação Curro Velho e fez curadoria de ciclos no Cinema na Casa. Atualmente, coordena o Cineclube Coisas de Cinema.


Cauby Monteiro
Idealizador e fundador da APJCC e membro do Cinema em Trashformação. Coordenou, entre 2008 e 2009, a Sessão Maldita no Cine Líbero Luxardo. Atualmente cursa Bacharelado em Cinema e Vídeo na Faculdade de Artes do Paraná (FAP). 

Fábia Martins
Membro-criador do Grupo Fellinianos, coordenou entre novembro de 2007 e dezembro de 2009, a Sessão Maldita no Cine Líbero Luxardo.


Felipe Cruz
Membro-criador do Cine Uepa, ministrou no ENEL (Encontro Nacional dos Estudantes de Letras), a oficina “Cada linguagem tem sua gramática”, sobre cinema e outras artes. Escreve sobre cinema e literatura em seu blog.


Gabriel Gaya
Compositor, editor de áudio, cinegrafista do filme "Eva e a Luxúria" em Belém. Para irritá-lo, basta chamá-lo de historiador. Não lembra quando entrou na APJCC.

Guimarães Neto
Estudante de Filosofia na Universidade Federal do Pará. Oficialmente, na APJCC desde 2010. Já atuou como parceiro em sessões no Cine Uepa, Cine CCBEU e Cineclube Aliança Francesa.

João Cunha 
Estudante de Comunicação Social - Jornalismo da Universidade Federal do Pará. Cineclubista. Membro-fundador e organizador do Cineclube Super 8. Ingressou na APJCC em 2013.


Juliana Maués
Membro da APJCC desde 2009. Jornalista graduada pela Universidade Federal do Pará, onde defendeu a Monografia de Conclusão de Curso "A Cidade Negra: estudo do cronotopo urbano no cinema noir". Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Multimeios da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com pesquisa referente ao cinema de artes marciais do diretor Chang Cheh. Produziu cartazes para divulgação de sessões do Cine UEPA e do Cine CCBEU. 


Luah Sampaio Nogueira
Estudante de Letras - habilitação em Língua Portuguesa na Universidade Federal do Pará, é membro da APJCC desde 2009. Escreve sobre cinema, música e quadrinho nos sites Composição Estranha e Back in Brasil. Foi assistente de produção no curta “Porto Max”, realizado pela Fundação Curro Velho.


Mateus Moura
Cineclubista, crítico de cinema, professor e cineasta, graduado em Letras – Licenciatura em Língua Portuguesa pela Universidade do Estado do Pará – UEPa. É idealizador, fundador e presidente da APJCC. Membro-criador do Cine Uepa, Cineclube Aliança Francesa, Cineclube Inovacine, Cine Casa e Tv Clube. Também coordenou e fez curadoria de sessões no Cinema na Casa, Cine EGPa, Cineclube Coisas de Cinema e Cine CCBEU. Ministrou diversas palestras, cursos, oficinas e workshops, principalmente no âmbito do projeto INOVACINE/FAPESPA. Criou duas produtoras independentes: “Antifilmes produções” e “Sr. Cheff Produções”, onde realizou seu primeiro filme: o média-metragem "D.Juan". Participa como integrante ativo do qUALQUER qUOLETIVO, principalmente na realização de vídeos experimentais. É crítico blogueiro desde 2009.


Miguel Haoni
Cineclubista, diretor da Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema. Coordenou os projetos Cine Uepa e Cinema na Casa e apoiou as ações do Cine EGPA , Sessão Maldita, Cineclube da Aliança Francesa, Coisas de Cinema e TV Clube, atualmente, coordena o Cine CCBEU, Cineclube do Colégio Sucesso e o projeto INOVACINE-FAPESPA, além de escrever crítica de cinema para o Jornal Amazônia.


Max Andreone
Membro-criador do Cinema em Trashformação e da APJCC. Coordena, desde 2008, a Sessão Maldita no Cine Líbero Luxardo. Videomaker e desenhista. Participou – como montador – da produção de vídeos no espetáculo “A Travessa da Espera” do Grupo cênico da ETDUFPA (Escola de Teatro e Dança da UFPA).


Murilo Coelho
Curador do Ciclo Andrei Tarkovski no Cine EGPA. Colaborador como comentador no Cine UEPa.


Rodrigo Cruz
Membro do Grupo Fellinianos, coordenou de novembro de 2007 a dezembro de 2009, a Sessão Maldita no Cine Líbero Luxardo. No final de 2009, defendeu monografia de Conclusão de Curso sobre o cineasta Michelangelo Antonioni, intitulada "Eclipse Oculto: A Problematização Filosófica da Incomunicabilidade Humana no Cinema de Michelangelo Antonioni". 


Samir Raoni
Midialivrista, ator, poeta e gestor cultural, graduando em Artes Visuais e Tecnologia da Imagem na Universidade da Amazônia - UNAMA. É idealizador do Circuito Polifônico. Membro-criador do Cine CASA, Cineclube Argonautas Audioviauais e Cine Educativo Socioambiental. Membro e Gestor de Projetos da APJCC, que gestiona o núcleo Pará do Clube de Cinema Fora do Eixo, que realiza a SEDA festival integrado de cinema que acontece em 50 cidades do Brasil. Produtor da I Semana do Audiovisual Belém e Salvaterra. Realizou diversas palestras, cursos, oficinas e workshops, principalmente no âmbito do projeto Ponto de Cultura Ananin, Samaúma, RedeCom e Caravana Digital. Pesquisador de Patrimônio Material e Imaterial do Brasil Memória em Rede, sendo o Coordenador do Pólo Pará. Atualmente é Representante Titular da Comissão Paraense de Pontos de Cultura/Gt Audiovisual e Tuxaua Premiado pelo Ministério da Cultura por gerir a Rede Norte de Cineclubes, rede que estimula o cineclubismo e produção audiovisual como tecnologia social nos estados do norte. Desde 2007, tem um blog onde escreve sobre tecnologia social, patrimônio cultural e memória.


Sávio Oliveira
Estudante de Comunicação Social da Universidade Federal do Pará. Membro-fundador do Cineclube Super8, que realiza sessões regulares na UFPA desde 2010. Também coordenou, durante os anos de 2009 e 2010, a mostra do Dia Internacional da Animação, em Ananindeua. Ingressou na APJCC em 2013.

Tiago Freitas
Estudante do curso de graduação em Artes Visuais e Tecnologia da Imagem da Universidade da Amazônia, e calouro de Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal do Pará. Cineclubista, membro da APJCC desde 2012,  coordenador do Cine CCBEU e membro-criador da “Sessão Daqui” no Sesc Boulevard. Participou da produção da 7ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul em 2012 e fez parte da curadoria e júri do 2º Festival Cine Periferia Pai D'égua, além de gravar eventualmente colunas de cinema para a Rádio Cultura e Rádio Unama. Em outubro de 2012, fundou com mais sete amigos o Coletivo Quadro a Quadro, que desenvolve a prática e a reflexão em torno do cinema independente na Amazônia. Em março de 2013, dirigiu seu primeiro trabalho audiovisual intitulado “Fotodramas”.

2 comentários:

José Bonifácio Santos disse...

Prezados;

Meu nome é José Bonifácio Santos, sou baiano, jornalista, poeta, músico-compositor e autor de diversas obras literárias direcionadas ao cinema e TV.

Morei 16 anos em Belém no Edifício Gualo Praça Da República, casei-me
com uma linda belenense, com a qual tenho um filho de 17 anos.

Atualmente moramos em Itapuã-Salvador-Bahia.

Na minha série O CAPACETE CIBERNÉTICO DA Dra. CANON, que foi atualizada pelo meu filho belenense de 17 anos: Provo que amos o Pará.

A mesma, já foi aprovada por 2 grandes editoras de Portugal para publicação
de livros.

Os editores portugueses, afirmaram que minha série de ficção científica,
será tão comercial quanto a premiadíssima série HARRY POTTER, que
segundo a Wikipedia: Vendeu 1 Bilhão de livros em todo mundo.

Se a minha genial série, vendesse apenas 10% disso: Eu já me daria por satisfeito.

Já tem uma produtora brasileira de filmes, interessada em desenvolver o filme em
Hollywood.

Como necessitaria de patrocinadores: Estou pensado em buscar patrocínio do empresariado paraense. Principalmente da nobre família Yammada.

Vocês teriam o E-Mail da Y Yammada?

Para dirigir o filme: eu gostaria que fosse o genial diretor Walter Salles.

Vocês teriam o E. Mail ou o Celular dele?

Tenho o imenso prazer, de solicitar que vocês leiam.

Pois o 1° Livro de minha série de ficção científica O CAPACETE CIBERNÉTICO
DA Dra. CANON, encontra-se postado juntamente com outros também geniais, no meu blog para leitura gratuita www.literaturaparacinemaetv.blogspot.com

Assim o faço, não só neste blog, mais em outros dois o de poesias: www.umapoesiapravoce.blogspot.com e no outro de humor escrito: www.bonipapajaca.blogspot.com por entender, que por serem os brasileiros, extremamente carentes da leitura:

Devo dar a minha contribuição, para um país melhor.

Leiam.

Se gostarem:

Vejam se podem me auxiliar no contato do Walter Salles e da Família Yammada.

Gostaria da opinião de vocês, também no que concerne a capitação de patrocínios no Pará, pois já disponho de alguns patrocinadores baianos
e cariocas.

Como será o maior filme do gênero, e também o mais futurista: O mesmo só poderia ser feito, por estúdios de Hollywood, com valor estimado em: US$500.000.000 (Quinhentos milhões de dólares)

Leiam e entendam que da trama: nasce o maior, mais genial e mais poderoso Super-Herói de todos os tempos.

Mega-Mem o Mega-Memória, nasce de um jornalista correspondente norte-americano estadunidense que é casado com uma brasileira do Rio de Janeiro.
Ele também nasce, da união de todos os povos da Terra.

Mega-Mem e Mega-Atriuns, principais da trama: renderão bilhões de dólares ao detentor dos direitos, sobre venda de concessões para filmes, séries de TV, revistas em quadrinhos Mangá, produtos coligados aos personagens e o mais rentável: Os 7 livros da série.

Vocês conhecem também, algum quadrinista paraense de Mangá de origem japonesa?


Leiam: Aguardo vossos comentários no próprio blog.


Abraços do autor.


José Bonifácio Santos
Meu E-Mail: jbsbonidabahia@gmail.com

José Bonifácio Santos disse...

Prezados;

Meu nome é José Bonifácio, sou baiano, jornalista, poeta, músico-compositor e autor de diversas obras literárias direcionadas ao cinema e TV.

Morei 16 anos em Belém no Edifício Gualo Praça Da República, casei-me
com uma linda belenense, com a qual tenho um filho de 17 anos.

Atualmente moramos em Itapuã-Salvador-Bahia.

Na minha série O CAPACETE CIBERNÉTICO DA Dra. CANON, que foi atualizada pelo meu filho belenense de 17 anos: Provo que amo o Pará.

A mesma, já foi aprovada por 2 grandes editoras de Portugal para publicação
de livros.

Os editores portugueses, afirmaram que minha série de ficção científica,
será tão comercial quanto a premiadíssima série HARRY POTTER, que
segundo a Wikipedia: Vendeu 1 Bilhão de livros em todo mundo.

Se a minha genial série, vendesse apenas 10% disso: Eu já me daria por satisfeito.

Já tem uma produtora brasileira de filmes, interessada em desenvolver o filme em
Hollywood.

Como necessitaria de patrocinadores: Estou pensado em buscar patrocínio do empresariado paraense. Principalmente da nobre família Yammada.

Vocês teriam o E-Mail da Y Yammada?

Para dirigir o filme: eu gostaria que fosse o genial diretor Walter Salles.

Vocês teriam o E. Mail ou o Celular dele?

Tenho o imenso prazer, de solicitar que vocês leiam.

Pois o 1° Livro de minha série de ficção científica O CAPACETE CIBERNÉTICO
DA Dra. CANON, encontra-se postado juntamente com outros também geniais, no meu blog para leitura gratuita www.literaturaparacinemaetv.blogspot.com

Assim o faço, não só neste blog, mais em outros dois o de poesias: www.umapoesiapravoce.blogspot.com e no outro de humor escrito: www.bonipapajaca.blogspot.com por entender, que por serem os brasileiros, extremamente carentes da leitura:

Devo dar a minha contribuição, para um país melhor.

Leiam.

Se gostarem:

Vejam se podem me auxiliar no contato do Walter Salles e da Família Yammada.

Gostaria da opinião de vocês, também no que concerne a capitação de patrocínios no Pará, pois já disponho de alguns patrocinadores baianos
e cariocas.

Como será o maior filme do gênero, e também o mais futurista: O mesmo só poderia ser feito, por estúdios de Hollywood, com valor estimado em: US$500.000.000 (Quinhentos milhões de dólares)

Leiam e entendam que da trama: nasce o maior, mais genial e mais poderoso Super-Herói de todos os tempos.

Mega-Mem o Mega-Memória, nasce de um jornalista correspondente norte-americano estadunidense que é casado com uma brasileira do Rio de Janeiro.
Ele também nasce, da união de todos os povos da Terra.

Mega-Mem e Mega-Atriuns, principais da trama: renderão bilhões de dólares ao detentor dos direitos, sobre venda de concessões para filmes, séries de TV, revistas em quadrinhos Mangá, produtos coligados aos personagens e o mais rentável: Os 7 livros da série.

Vocês conhecem também, algum quadrinista paraense de Mangá de origem japonesa?


Leiam no blog acima informado: Aguardo vossos comentários no próprio blog.


Abraços do autor.


José Bonifácio
Meu E-Mail: jbsbonidabahia@gmail.com